terça-feira, 29 de setembro de 2009

A banda-voou


Por Germano Xavier


Ela sai de mansinho,
cai no escurinho,
faz um inferninho,
ela é banda-voou!

Retoca o batom,
não perde o tom,
aumenta o som
que ela é banda-voou!

Do salto não desce,
de esquecimento padece,
vai ver não merece
- Ai, ela é banda-voou!

Vai sempre faceira
descendo a ladeira,
sem eira nem beira
- Meu filho, ela é banda-voou!

Cativa o casado,
desata o noivado,
não tem namorado
- Mas que banda-voou!

Não usa calcinha,
não é sua nem minha,
pra todos caminha
- Como é banda-voou!

Finge amor de propósito,
cobra ao carente o depósito,
sorri em caso de óbito,
- Bom Deus, ela é banda-voou!

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Pentagrama

*
Por Germano Xavier

"O Estado sou eu",
dizia o intolerante Absoluto.

"O homem é o lobo do homem",
afirmava o sariguê ávido.

"Os fins justificam os meios",
atestava a ave de rapina.

"Conhece-te a ti mesmo",
proferia o suicida grego.

"E eu?",
interrogo.


* Imagem: Google.